Projeto na íntegra 

‘FAUSTO, O ATOR, O ESPECTADOR E A CRIAÇÃO DE UMA FÁBULA GESTUAL’ é um Projeto de Pesquisa em Artes Cênicas selecionado pela Bolsa Décio Freitas da Secretaria Municipal de Cultura de Porto Alegre.

  O Projeto sugere uma reflexão sobre o envolvimento da população local com as criações cênicas de Porto Alegre no contexto social e cultural que se vivencia hoje. Para isso, propõe a experimentação de formas de criação cênica que aprofundem o diálogo com o espectador contemporâneo, que parece tão distante das inúmeras temporadas de espetáculos de artistas da cidade.

  Como poderíamos atingir um número maior de espectadores, assim como em outros períodos históricos? Como poderíamos estar mais próximos do público mesmo ao trabalhar com textos clássicos, de linguagem por vezes pouco atrativa para uma população que se acostuma aceleradamente com as informações instantâneas produzidas na web? Será que estamos nos comunicando com o contexto social e cultural de hoje ao produzir trabalhos que tratam o texto e sua enunciação como essenciais para o ‘entendimento’ do público?

  O Projeto quer aprofundar estas questões através de três mecanismos: um treinamento do ator que privilegia o corpo; uma experimentação corporal de um texto clássico sobre um mito que suscita questões contemporâneas; e a interação do ator com o público em esferas presencial e virtual. Quanto à primeiro, busca-se a preparação física nos exercícios e estudos da Biomecânica Teatral de Meyerhold, com o intuito de tornar o corpo disponível para a criação cênica, ampliando suas possibilidades de movimento e sua consciência dos sentidos emitidos pelo gesto.

          Na segunda ferramenta proposta, o treinamento físico do ator possibilitará uma reestruturação narratológica da obra ‘Fausto’, uma narrativa gestual para o texto de Goethe, preferindo o corpo e o gesto em detrimento do texto. Esta escolha quer possibilitar ao público diverso de uma cidade como Porto Alegre o contato com uma obra que versa sobre um mito ocidental e que, como outros importantes escritos, tem dificuldade de se manifestar em uma sociedade tão digital.

  Além da relevância histórica da dramaturgia de Goethe, o texto conserva uma plena atualidade e possibilita ao teatro falar do tempo em que vivemos ao refletir sobre questões que também inquietam o homem contemporâneo, como a liberdade frente às amarras sociais impostas pelas doutrinas religiosas, sistemas políticos e, recentemente, também pela mídia e seus inúmeros mecanismos de ação.

  Paralelamente a isto, o terceiro mecanismo a ser experimentado é levar esta narrativa à população, tecendo duas interfaces de comunicação. A primeira, presencial, pretende levar performances a espaços públicos de intensa circulação de pessoas. A segunda, virtual, quer estimular o público que vê as performances a interagir com o processo de criação através deste site e da página do Projeto no Facebook, podendo participar da construção da narrativa gestual proposta.

  Com estas reflexões e práticas poderemos de alguma forma começar a entender como o teatro de Porto Alegre pode ampliar sua aproximação com os indivíduos e com a sociedade de hoje, na tentativa de um aprimoramento da relação entre a arte e seu público na nossa cidade e numa busca por um envolvimento maior da população com as pesquisas e criações dos artistas locais.