AS TREVAS RIDÍCULAS

Direção ALEXANDRE DILL

Texto: WOLFRAM LOTZ

Intérpretes VICENTE VARGAS, GUILHERME CONRAD, LUCAS PRADO (HENRIQUE STRIEDER), FREDERICO VITTOLA, GUSTAVO SUSIN

Direção Musical BIBIANA PETEK  

Preparação Vocal LÍGIA MOTTA  

Desenho de luz LUCCA SIMAS

Figurino MANU MENEZES  

Cenografia REYNALDO NETTO  

Cenotécnico RODRIGO SHALAKO  

Arte Gráfica: KÉSSIO GUERREIRO

Fotos e Vídeos: PEDRO MENDES

Produção GRUPOJOGO  

Tradução de Luciana Dabdad Waquil 

Diante do tribunal distrital um pirata somali (GUSTAVO SUSIN ) pede compreensão pelo ataque ao navio de carga MS Taipan e lamenta pela perda de seu amigo Tofdau. 
Pellner (FREDERICO VITTOLA) e Dorsch (VICENTE VARGAS) estão em um barco de patrulha nas florestas tropicais do Afeganistão em busca da liquidação de um tenente coronel enlouquecido (GUILHERME CONRAD). 


AS TREVAS RIDíCULAS nos leva ainda mais longe: um mundo proliferando emaranhados e indissociáveis questionamentos da história colonial em busca da construção de mais diálogos à realidade pós-colonial. Estamos nos movendo constantemente para longe da chamada civilização e nos aproximando do deserto e das trevas.

Uma encenação lunática e delicada, irônica e ao mesmo tempo triste, que descreve nossa incapacidade de compreender o que parece estranho: o Horror de uma guerra, uma cultura diferente, um povo diferente e por fim a si mesmo.


Este espetáculo foi Financiado pelo Goethe-Institut Porto Alegre e integra a 1ª Edição do Projeto Transit: 2 diretores brasileiros, 1 texto alemão.